terça-feira, 21 de maio de 2019

O Guerreiro Justo - Desafios são oportunidades


Certo que são os desafios que movem o guerreiro. Saber o que quer é o diferencial ao plano estratégico. Conhecer os territórios a serem desbravados é vantagem competitiva. O desenvolvimento pessoal, profissional e espiritual, é proporcional à aprendizagem que adquire na sequência dos combates. 

Vencer as demandas e cumprir a missão a que se propõe é o que torna o guerreiro singular nas batalhas. O agendamento dos cronogramas deve ser organizado conforme os objetivos a curto, médio e longo prazos. Desenvolvendo habilidades e competências necessárias à luta cotidiana.

O mundo é o laboratório e a vida é a escola onde o guerreiro realiza experimentos e adquire conhecimentos necessários para vencer. A sequência das batalhas cotidianas revela o quanto é importante ter o plano definido. O destino é consequência do rumo escolhido. O guerreiro sabe disto. 


quarta-feira, 15 de maio de 2019

Trabalho Digno


O mundo do trabalho está, cada vez mais, desafiador. Venho me aventurando nas buscas por oportunidade há bom tempo. Mesmo tendo faculdade e duas pós-graduações, cheguei a me aventurar como ambulante. Vendendo guarda-chuvas na chuva, cola bonder e barbeadores no trem. Certo que isto foi em outra época. Mas os tempos não estão fáceis.

Embora busque algo na área (Comunicação), também estou aberto a outras oportunidades. Sou bom com vendas, atendimento, divulgação e produção midiática em geral. Venho enviando currículos e divulgando serviços na web diariamente. Mesmo assim, sobra tempo para fumar e beber. O que não é bom negócio a quem desejaria estar na batente.

Por isto, aproveito este espaço. O blog do escritor, Para manifestar esta busca. Colocando-me à disposição para novas oportunidades. Certamente, encontrar trabalho digno é a prioridade no momento. Frente aos relacionamentos ou saídas noturnas. Sei exatamente o que quero.


terça-feira, 14 de maio de 2019

Às mudanças


Despertar toda manhã pronto às rotinas cotidianas é o desafio ao Guerreiro que sabe o caminho para vencer os desafios. Ter tudo anotado na agenda é otimizar o tempo. Aproveitando melhor cada período produtivo ou ao lazer. Aproveitar o dia é ocupar-se na melhor forma possível. Aproveitando cada momento nas atividades que acrescentam algo. Seja produzindo, prospectando, atendendo ou se aprimorando através do estudo.

O mundo é o laboratório em que o Guerreiro realiza os experimentos. Quando existe o plano estratégico, o guerreiro utiliza melhor o tempo. Ganhando tempo semd esperdiça-lo com futilidades. O ócio é substituído por atividades construtivas. Bastante daquilo que temos como demandas é apenas resíduo das vidas passadas. Vidas imersas na vida. Legados da nossa juventude, infância ou memórias recentes, que trazemos até então. Resolver estas questões é estar em paz consigo próprio.

O espiritual influencia diretamente o Guerreiro. Alimentando-se do emocional que, por sua vez, alimenta o espiritual. Focar-se no que realmente importa é o que move o Guerreiro ao desenvolvimento. Vencer demandas é mais do que tornar-se resiliente naquilo que deseja. É abrir caminho ao novo. Transformando a realidade a partir das mudanças no comportamento pessoal e na forma como lidamos com o mundo. 

Nisto é necessário desenvolver habilidades continuamente. Recriando-se sempre que possível. Assim, os desafios se tornam como oportunidades ao desenvolvimento. Abrindo caminhos ao progresso. Baseando o comportamento na ordem ao eliminar o caos. Firmando parcerias onde o crescimento é desejado. Criando conexões onde há possibilidades à evolução.

A decisão ocorre quando o Guerreiro clama ao universo a mudança que realmente deseja. Desde o pensamento inicial à atitude prática, o Guerreiro encontra-se como num umbral onde tenta fugir dos velhos vícios, reconciliando-se com o ecossistema coletivo e aliando-se aos aliados em potencial. Neste momento, o Guerreiro não está mais a sós. O Divino ouviu sua prece. E o diabo, mais ainda, quer sua alma. Ao reconhecer o valor que tem diante os demais mortais. Por ser forte ao querer mudar. Ao ser digno ao operar as mudanças que deseja. 




sexta-feira, 10 de maio de 2019

Trabalhos abertos



Dentre tantos zombeteiros, este era diferente. Aparecia avermelhado. Andando d'um lado a outro. Como um diabo. Junto a ele, outro julgava-se Bará. Então o espírito se desdobrou em dois e um sumiu.

"Ninguém é santo" - Disse o diabo.

Como Mestre, tratei em abrir os trabalhos. O café servido a organizar as ideias. Por o texto em ordem.

Mesmo assim, o espírito presente degladiava-se com o visitante. Como se fossem apenas partes do meu próprio pensamento. Embora este imaginário fosse bem real.

Uma diaba andava d'um lado a outro. Inquieta como se estivesse em uma jaula. Olhava sobre as mesas. Procurava os cigarros que já não estão mais aqui. Desde o "Saravá povo d'rua".

(Desarmado) O Guerreiro encontrou a Baraque sobre a mesa. Dentre as moedas e canetas, havia a chave. Ser o próprio espada (arma, ferramenta, instrumento).

(...)

Como se tivesse baixado o Divino, para cortar o álcool e beber água. Desfumado estava o Guerreiro. Pronto ao sábado.

A encruzilhada esfumaçada sucedia desde que cruzei o caminho com uma bruxa. Seria preciso fazer o passo.

Os galos estavam mortos. Na esquina. Pretos ou vermelhos. Como oferenda pela cabeça canina.

Uma pomba cinza, alfinetada no coração, fora sacrificada ao Mago. Encontrada, estava sobre a calçada, no chão.

Havia uma galinha vermelha degolada na esquina abaixo. Mas isto foi antes que provasse o galeto na igreja.

Além dos charutos, frutas, bebidas, moedas ou pipocas. Velas em multicores.

As encruzilhadas foram mapeadas formando desenhos.

Espelhos quebrados e uma galinha preta sem coração no parque.

Vinte e duas cabeças ovinas estavam na orla.

Costumo encontrar estas coisas. Como o galo branco na virada.

Pedro também zombava do diabo. Em dia chuvoso, à aurora, bem vindos raios e trovões.

O eguns (demônios; anjos caídos) foram chamados à luz (dia). Eis que nos ajudamos.



quinta-feira, 9 de maio de 2019

Tolerância Religiosa


O fundamentalismo religioso, assim como fanatismo e o radicalismo, vem colocando em risco a paz mundial. O que me refiro está além da guerra santa entre árabes e judeus. Falo sobre os fundamentalistas evangélicos que, constantemente, apontam outras religiões como politeístas ou hereges. Principalmente quando falamos das religiões afro-brasileiras, o espiritismo, o catolicismo e a magia. 

O certo é que a paz mundial requer tolerância. Entender que nem todos temos a mesma crença. Sendo que cada indivíduo tem o direito em optar pela religião que quiser. A liberdade religiosa é política. Contudo, o fanatismo vem destruindo os relacionamento pacífico entre pessoas que encontram-se em diferentes religiões. 

Por outro lado, a discriminação ocorre até mesmo dentro dos templos. Católicos são acusados por cultuar os santos. Certa vez que a bíblia cristã fala em ter apenas um Deus e Senhor. Mesmo assim, religiões diversas, ditas monoteístas, cultuam infinitas entidades. A cada dia são somados novos 'guias' ou referências aos devotos. O que acaba confundindo a fé das pessoas. 

A solução continua sendo a aceitação. Jesus disse que guerras seriam iniciadas em seu nome. Apesar disto, sempre colocou-se a favor do que chamamos paz coletiva. Nisto, acrescento o budismo, o espiritismo e inúmeras outras crenças que defendam a paz, o respeito e a tolerância. Certamente, nenhuma religião é melhor que a outra. Apenas há o momento adequado a cada pessoa. Enfim, a tolerância religiosa, assim como a política, é o passo inicial à paz mundial. 


quarta-feira, 8 de maio de 2019

O Guerreiro, a espada e o combate


Geralmente me coloco como o guerreiro que está na batalha para vencer os desafios cotidianos. Mas, enfim, o que é ser guerreiro? Ser guerreiro é impor-se ao caminho. Perseverar e persistir nos objetivos. Lutar pela causa que defende. Aprimorar-se continuamente ao combate. Cumprir a missão e as obrigações a que se propõe. Encarar os obstáculos como oportunidades. Batalhar pelo desenvolvimento pessoal e profissional. Saber trabalhar em equipe e individualmente. Acreditar em si próprio. Prevalecer na batalha cotidiana. Insistir naquilo que acredita. Abrir caminhos alternativos. Trilhar a jornada com fé e confiança na própria espada.

Mas que espada estou falando? A espada do conhecimento. As habilidades e competências. A informação. A espada geralmente é associada aos objetos que utilizamos. Eventualmente, poderia ser a caneta que o escritor utiliza. As moedas que o comprador traz na carteira. A chave que abre portas. As próprias atitudes. O comportamento e a linguagem. A espada simboliza aquilo que temos para chegar onde estamos indo. O projeto no seu início. A ferramenta que utilizamos no dia-a-dia. Os saberes que guardamos em segredo. As vivências e experiências em combate.

Que combate? A luta cotidiana. Pessoal e profissional. Pelo lugar ao sol. Entrar em forma. Conseguir trabalho. Prospectar clientes. Ganhar dinheiro. Vencer os vícios. Desenvolver as virtudes. Abrir o próprio caminho. Encontrar-se consigo próprio. Vencer demandas. Prevalecer na vida. Com isto, o guerreiro está pronto para vencer.

terça-feira, 7 de maio de 2019

Evoluir é desafio



Que missão temos neste mundo? Já se fez esta pergunta? Evoluir é extrapolar expectativas. Avançar requer recriar-se continuamente. Que desafios nos movem? Que caminhos escolher? Como recriar-se no mundo em que encontramos, cada vez mais, do mesmo? O igual e o diferente comungam no semelhante. Cada ser tem a particularidade própria que o faz único. O espírito consciente entende o porquê estamos aqui. Já se perguntou várias vezes o sentido que a existência nos reserva. Portanto busca o entendimento, o esclarecimento e a sabedoria, nas vivências cotidianas. 






segunda-feira, 6 de maio de 2019

Salvar o planeta


O mundo é como uma nave. Uma grande embarcação, onde estamos juntos para usufruir dos recursos naturais, a navegar no espaço sideral. O ecossistema, ao natural, está em equilíbrio. Contudo, sob a ação do homem, clama respeito. Tanto o reino animal como o vegetal carecem dos maiores cuidados humanos. O espírito esclarecido move-se à preservação ambiental. O desenvolvimento sustentável é a única solução para salvar o planeta.


sábado, 4 de maio de 2019

O Comunicador - Vol CLXIX


A vida inicia aos quarenta


A VIDA INICIA AOS QUARENTA

Quanto mais me aproximo dos quarenta, mais reflito sobre aquela expressão que diz que 'a vida inicia aos quarenta'. Pensando bem, faz sentido. Sinto a maturidade das vivências e experiências cotidianas. As memórias resgatadas, desde a infância, adolescência e juventude, nos reencontros com velhos amigos. Episódios singulares relembrados. Além das novas vivências.

Meu filho está com vinte e um anos. Meu pai fez a passagem quando eu estava com dezesseis. Desde então, aprendi a buscar o conselho nos livros. Agora, mais nas vídeo-aulas no Youtube. Leituras e releituras que me proporcionam captar o mundo por vários ângulos. Particularmente, estou melhor que aos trinta em tudo. Mais instruído que aos vinte. Mais maduro.

O certo é que estou no limite para algumas mudanças. Estou me recriando. Renovando a forma como lido com o dia-a-dia. Me sinto mais preparado, como se tivesse nascido pronto, a enfrentar os desafios. Vencer as demandas. Conquistar objetivos e avançar. Sempre em frente.