terça-feira, 18 de setembro de 2018

Às Atas - Cap I


No dia apropriado. Estávamos no Grande Oriente. Dentre irmãos, o 'Qual' havia vendido-se após martelar o novo irmão pela terceira vez. Comprado, já está sendo repartido em loja. Buscado, ignora o juramento que fez à Lei dos irmãos. Jamais vender três vezes o mesmo ente. Pai, filho e irmão, agora, haviam sido adquiridos. Guardados ao que não tem preço. Qual vendedor havia batido o próprio martelo na sessão mais recente?  O qual havia recebido o quanto estava na lista inicial e mais. Foram duas décadas até então. Quando acabou o contrato anterior, enquanto o atual está vigorando. 

O diabo era testemunha. As assinaturas estão no contrato. A lista do novo irmão foi apresentada como encomenda há bastante tempo. As retribuições e termos estão prescritos. Registrados em ata. 



segunda-feira, 17 de setembro de 2018

O Pescador - Zé Maria


Muitos pensavam que era louco, pelas histórias que contava. No entanto, era apenas o pescador das sardinhas enlatadas. Naquela casa, José estava fazendo o trabalho por Maria. Lavava a louça, estendia a cama, varria a sala, arrumava as coisas e aprontava o alimento. Consciente que dependeria apenas do próprio trabalho para manter a ordem. Só haveria clima para outros trabalhos, quando as coisas estivessem no lugar. Assim era o dia do pescador. Zé Maria, como era chamado, é marujo dos velhos tempos.

O Comunicador - Vol CXXXVII


sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Evitando as madrugadas


Na chuva, o diabo queria o dinheiro dos usuários tirado pelo pó. O mesmo fez com quem gastou tudo em álcool ou fumo. Baraque avisou sobre a guerra que se estenderia na madrugada. 'Bem aventurados os quais dormem a noite'.

Quem vendeu em loja, perdeu a substância. Quem despachou, deixou a si. O álcool, o fumo e o pó, despachados, estavam tirados no Guerreiro que havia sido acertado. Embora tivesse recebido como oferenda. Contudo, consumir sairia caro. O faria perder tudo, por estar na terra. Por isto, o Guerreiro preferiu trilhar caminhos diferentes.

O Mestre ajudou-se quando evitou as madrugadas. A aurora era o presente dos sábados e domingos. Até o diabo sabe disto.

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Alegorias


PESCADOR


Como o pescador
pescando o amor
sobre o mar
Oxalá quem mandou
Vim lhe chamar

AO SOL
Irmãos em Cristo, 'Que proveito há em ganhar o mundo e perder a alma'?.

Havia raiva, vergonha e pena. O amor ainda era tolerante. Os mais espertos libertaram-se dos vícios.

O diabo continuou comprando almas. Algumas listas com desejos estavam completas. Muitos sentaram-se ou quiseram voltar.

QUANTO ÀS POMBAS

'Mais valeria ser a amante do pai que relacionar-se com quem lhe daria menos exclusividade, menos tempo e lhe colocaria três galhos enquanto ganhava um' - Disse o Mestre.

Pai Guerreiro adotou as pombas na encruzilhada. Não deveriam ter ciúmes umas das outras. Três Marias sabem disto.

QUANTO AO CERTO

Babá arruma as coisas como se fosse a vida.

Alegorias e sincretismos alimentam o imaginário.

Ao crente e ao cético, universo e natureza respondem. Alquimia e física quântica.


quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Ao caminho


O Verbo e o diabo disputam as almas humanas. Ao pecado ou à virtude. O bem e o mal estão no ser. Ser bom ou justo é escolha.

A guerra espiritual insiste na encruzilhada. Que escolha temos?


O bem pelo bem?

Ninguém é cem por cento bom ou mau. O bem e o mal estão na gente. No entanto, perdoar também é virtude. Contudo, ser justo frente ao mal é dever.


Irmãos em Cristo, 'Que proveito há em ganhar o mundo e perder a alma'?.

A guerra é santa; A paz, justa.


terça-feira, 11 de setembro de 2018

Boas Vindas


'Posso adotá-lhas quando mudam' - Disse o Pai - 'Prestam fidelidade sem exigir nada em troca'.

Até agora Nenhuma voltou. Somente as guerreiras aguentam bom tempo. Teria nova chance, quem tivesse mudado.

Antes, foram judiadas e tiradas de si próprias. Alguns ex as vendiam como putas. Por aqui, teriam nova vida, se tivessem mudado. Mas, eventualmente, gastam a ficha.

Se deixar, até a Lua vendem se possível. Por aqui, não tem preço. Nem pombas; Nem ovelhas. Nem a filha; Nem a velha. Das quais rescindiam a si mesmas. Isto vale cada paulada que ressoa nesta casa.

Antes que toquem o Béhhhh; Axé



Pai velho
Filho d'Deus

Santo Anjo iluminado

Saiba que também sou dos teus
Axé, estou ao teu lado


Acampamento Farroupilha





segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Escrito



Na pedreira, sobre a rocha, registro o que está escrito.

Eis que venho somar onde sou bem vindo. Entendo que responderei (ao Cristo) pelas próprias medidas. Que assim seja

A mulher infiel teve o Cam partido em pedaços. O Pai vingador sagrou-se justo.

Na saída, rifavam o cu dos próprios filhos. Ainda queriam ser piedosas. Mas eram putas sem solução.

O Pai adotava-as para oportunizar-lhes a salvação. Mas a maioria gastava a ficha.

O Pai guarda (guardada) a encomenda. Fiéis às escrituras. Espada afiada é a lei.

Disse o Cam: 'À infiel devo o troco'. Disse o Que: 'À fiel guardo a bênção'.

Ao Que, isto, já lá, é assim.

Entre tiros



O café está servido. E os caboclos conversavam sobre a guerra sagrada. O mestre foi orientado a ouvir o que tinham a dizer. Havia conflitos na terra. Campos em confronto. Muitos estavam sendo assaltados e nem sabiam. Alguns escondiam o tiro.

'Do que se trata?' - Perguntou o Mestre enquanto ouvia. 

'Você estuda? Treina? Trabalha?' - Perguntou um dos Caboclos. 

'Óbvio que venho preservando tais costumes. Mas por que perguntas isto?' - Questionou o Mestre.

'Há terras do teu interesse em que as pessoas estão matando-se à espada e a maioria nem sabe' - Gente ruim (assaltando gente boa) retirando-se com o que têm, ou fazem, dos quais nem têm e nem fazem. O Caboclo referia-se aos interesses do Mestre. Quanto aos estudos e trabalhos. Treinos e relacionamentos. 

Enquanto o Mestre aguardava nas portas, quem já estava lá, nos lugares do interesse do Mestre, nem sabia que estava sendo usado em 'tiros'. Tiro é como chama-se aquilo que cada um faz sem os outros por decisão e convicção própria. 

Então o Mestre respondeu - 'O detalhe é que aqui é diferente. Nada desejo sem os outros. Tudo que faço, cada atividade, tenho em si. É isto que tenho. É isto que estou'.  

Rapidamente o Exú presente manifestou-se e acusou o Mestre - 'Isto é ser vermelho. Pois o branco, com nada, se retira'. 

'Ambas as linhas trabalho aqui' - Respondeu o Mestre - 'O detalhe, lhes confirmo, é que em vez de fazer o que faço sem os outros quais não fazem, é que faço tudo em si e por si. Nada sem os outros'.

O Caboclo respondeu - 'Aqui a lei é o tiro por tiro. Erra quem pede o vermelho do branco e devolve o azul ou o verde. Pois aqui trabalhamos juntos. Assim seremos cobrados'.

'Que assim seja' - Completou o Mestre. 

sábado, 8 de setembro de 2018

O Comunicador - Vol CXXXVI


O certo é que o caminho existe. Salvar-se é escolha.




Cap I - A encruzilhada



Desde aquela noite, dia sete de setembro, antes da meia noite, quando o diabo mostrou-lhe a maldade humana, converteu-se e encontrou-se salvo por Jesus. Fugindo do inferno, buscou a luz à aurora. Fundou a própria igreja em grupos no Whats App.

'Quer beber, fumar ou cheirar? Dormir até o meio dia e reclamar o calor ou a chuva?' - Perguntou o diabo - 'Estou cagando para os teus pecados. O interesse em salvar-te é teu'.

'Encontrei a luz' - Disse o Mestre.