segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Obrigações


A autoajuda mobiliza o Guerreiro ao desenvolvimento pessoal. Abrir o próprio caminho requer saber o que se quer. O caminho próprio é independente das influências paralelas. Contudo, o conhecimento adquirido favorece ao aprimoramento. Livre das más influências, a virtude enaltece o Guerreiro que cumpre as obrigações. 

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Guerreiro - Firmando os votos


O Guerreiro firma os votos no caminho escolhido. Livre das preocupações materiais. Cumpre as obrigações terrenas. A sorte é que o 'lá' é o eterno aqui e agora.

Com gratidão, reverencia o Sol a iluminar o dia. A chuva a molhar a terra. O ar a encher a vida.


quinta-feira, 15 de novembro de 2018

O poder quântico das alegorias do imaginário


O imaginário e as alegorias alimentam o homem. Crer que somos algo que sentimos, mesmo que imaginário, faz com que incorporemos determinados 'poderes'. Isto serve aos mitos e na ficção. Há certa energia quântica que emana do pensamento. 

Imagine a situação em que o menino fantasiado como Superman se julgue o próprio. Sempre que isto acontece, se torna mais ativo. Sobe no sofá, corre e pula. Este é o exemplo mais sucinto sobre 'o poder das alegorias'. 

Nas antigas civilizações, os Guerreiros, Profetas e Filósofos, alimentavam-se das crenças, ritos e 'deuses', assim como, ainda hoje, as pessoas alimentam-se na crença dos Santos e Orixás. Sendo este o combustível ao próprio cotidiano.

Crer que se vive em determinada 'companhia', eventualmente faz com que nos assemelhemos, no comportamento, pensamento e sentido, àquilo que cremos. Como, por exemplo, os cristãos, em relação ao Cristo. Modelos comportamentais que emergem como caminhos.

Contudo, há certo limite, entre o imaginário e o auto-julgamento. A fé e a ficção. Crer que somos auxiliados (amados, amparados, testemunhados, etc.) por Deus (ou pelos hábitos e conhecimentos) costuma conduzir-nos a ajudarmo-nos a si próprios. Assim como os mitos do imaginário, a crença abastece, energeticamente, aquele que crê, com pensamento positivo e atos construtivos. 


quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Caminhos


O Guerreiro escreve o próprio contrato. Dita o caminho que deve percorrer.

O caminho é pessoal e intransferível. Contudo, quando aberto, possibilita a salvação aos semelhantes.

Cada indivíduo sabe o que quer. Avançar requer cumprir as obrigações.


terça-feira, 13 de novembro de 2018

O Guerreiro do E.S.


Ao meio dia, recém havia acordado. Na encruzilhada, o diabo baixou como velho errante. Ao consumir a erva despachada na terra, deixou sua assinatura registrada no caderno.

'Faço isto por Jesus' - Respondeu o Mestre - 'Jamais peçam algo dos outros ou sem'. 

'Não vim para vingar. Mas para cumprir a lei' - Disse o ser vivente.

Sem apelar, o Mestre preserva o testemunho dos anjos (demônios trazidos à luz).

Perseguido pelas crenças que defende, o Guerreiro avança além das encruzilhadas. Ser Guerreiro é perseverar no caminho que acredita. Lutar para defender o território, assim como as linhas que trabalha. Na benção dos Orixás. Deus e o Diabo, como testemunhas. Juntos somos o que somos. 

Que o E.S. nos ilumine.

Axé

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

O Guerreiro - Missão e desafio


O Guerreiro entende a missão como desafio. O tempo é aliado, quando desempenhamos o papel que nos cabe. O desenvolvimento baseia-se nos aprimoramento adquirido na jornada. As vivências e o conhecimento.


quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Quanto ao real


O que é verdadeiro? O absoluto e o relativo. As filosofias abordam a verdade fundamentada na experimentação científica. Parmênides via o caminho verdadeiro como superior às aparências. O que se é geralmente difere quanto ao que se vê. Eventualmente a verdade é invisível. Enquanto a aparência é visível.

Empédocles entendia a fusão (comunhão) no espírito singular como união plural. O oposto a isto era a desconstrução. O que integra a convergência, ora desintegra-se na pluralidade. O 'uno' emerge como o plural-singular. O conjunto dos 'eus' que integram o 'ser'.


quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Alinhado


Geralmente confundido com objetivos e destinos, o 'Lá' está imerso no aqui e agora. Alinhado ao espaço-tempo.

Sempre ligado ao ar, o Mago recordou o décimo teste. As provações cotidianas estavam anotadas em 'Atos'.

No Universo (Sistema Solar), disse o Mestre: "Estou sempre aqui".


Caminhos alternativos


Além dos maniqueísmos, emergem os caminhos alternativos. Geralmente, as perguntas fechadas pressupõem a resposta automática com dupla alternativa. Como, por exemplo, a pergunta: "Bebe café?". Supõe a resposta afirmativa ou negativa. Contudo, ao responder: "Prefiro água (pois o café bebi antes ou bebo quando quiser)", o maniqueísmo é desconstruído. Nisto emergem caminhos incontáveis.

Libertar-se dos maniqueísmos é compreender que existem respostas alternativas. A pluralidade possível está na forma como vemos o mundo. O fato é que os dualismos estão imersos na pluralidade que compõe o singular.

No plano em que tudo é tudo e nada é nada, os opostos cedem lugar aos múltiplos caminhos. Impor a pergunta fechada é limitar a possibilidade ao maniqueísmo. Ser livre é extrapolar as dualidades.


terça-feira, 6 de novembro de 2018

Às Leis


Para que serve a lei, senão para ser observada? Os Mandamentos já estavam prescritos no Livro dos Mortos. O requisito à porta estreita e à vida eterna.

Portanto, jamais cobiçar o que dos outros. Nem os pedidos; nem a encomenda. Tampouco, jure por coisa alguma.

"Não julgueis, para que não sejais julgados. Pois com o critério com que julgardes, sereis julgados; e com a medida que usardes para medir a outros, igualmente medirão a vós".